Zootecnia Tropical > Sumario de la Colección > Volumen 19

Zootecnia Trop., 19(Supl. 1): 251-258. 2001

Morfologia in vivo, na carcaça e características produtivas e comerciais em borregos Corriedale e Ideal

Gilson De Mendonça1, José Carlos Osório1,2, Nelson Manzoni Oliveira2,3, Maria Teresa Osório1,2, Luiz Henrique Diniz4,5, Airam Fernandes Silva4

 

1 Professor UFPel-FAEM-DZ, Campus Universitário s/nº, caixa postal 354,
Pelotas – RS, CEP: 96010970, Brasil, 2 Bolsistas CNPq.
3
Pesquisador da EMBRAPA, CPPSUL, Bagé – RS, Brasil
4
Alunos Agronomia da UFPel, Brasil
5
Bolsista FAPERGS, Brasil
Recibido: 13/7/01 Aceptado: 10/8/01


Resumo

Este trabalho teve por objetivo comparar as raças Corriedale e Ideal quanto a suas características morfológicas, produtivas e de interesse comercial. Foram utilizados 40 borregos castrados das raças Ideal (n = 19) e Corriedale (n = 21), criados em condições extensivas com alimentação de pasto nativo, desmamados com 70 dias e abatidos com 1 ano de idade. A fase experimental de campo foi realizada na EMBRAPA – CPPSUL de Bagé/RS, e a fase laboratorial na UFPel – FAEM – Departamento de Zootecnia, Pelotas/RS. A raça Corriedale apresentou valores significativamente maiores (P<0,05) para conformação, condição corporal, comprimento corporal (todas in vivo) e comprimento da perna in vivo e na carcaça. Nas demais características morfológicas, principalmente aquelas avaliadas na carcaça, não foram encontradas diferenças (P>0,05). Com relação as características produtivas e comerciais, a raça Corriedale apresentou maior peso vivo ao abate e maior peso de carcaça quente, observando-se na raça Ideal as menores perdas por resfriamento, tanto em gramas quanto em percentagem (P<0,05). Não houve significância estatística no peso de carcaça fria e nos rendimentos verdadeiro e comercial (P>0,05).

Palavras chaves: Carcaça, carne, morfologia, ovinos, raça

Introdução

 

A produção de carne ovina vem ganhando destaque nos últimos tempos constituindo-se uma alternativa viável para a obtenção de proteína animal, bem como um fator de fixação no campo e estímulo aos produtores rurais. As principais raças criadas no Rio Grande do Sul, Brasil, são a Corriedale e a Ideal. Entretanto, poucos são os estudos sobre a produção de carne em ambas e a avaliação comparativa de sua morfologia, o que limita a informação sobre o potencial produtivo dessas raças.

Uma das principais fontes de variação na quantidade e qualidade das carcaças é o genótipo (Osório et al., 1991; Sierra et al., 1993; Osório et al., 1996). De acordo com a aptidão da raça (carne ou lã), podem encontrar-se diferentes valores para carcaça (Oliveira et al., 1998), onde a influência de alguns componentes no peso vivo diminui a medida que a raça especializa-se para a produção de carne (Osório et al., 1996).

Costa et al. (1999), verificaram que não há diferenças significativas nas características morfológicas in vivo e na carcaça entre as raças Corriedale e Ideal, bem como em determinadas características de interesse comercial, em cordeiros com 222 dias de idade. Entretanto, a idade é um fator importante e determinante da composição coporal e tecidual, tanto na raça Corriedale como na Ideal (Osório et al., 2000); mostrando ser necessário a realização de estudos a diferentes idades.

O objetivo deste trabalho foi comparar a morfologia in vivo e da carcaça, assim como as características de interesse comercial, de animais com 1 ano de idade das raças Corriedale e Ideal.

Material e Métodos

O experimento foi realizado no Centro de Pesquisa de Pecuária dos Campos Sulbrasileiros – CPPSUL – EMBRAPA de Bagé, com a participação (fase laboratorial) da FAEM/UFPel, Departamento de Zootecnia, Pelotas, RS, nos anos de 1999/2000. Foram utilizados 40 borregos castrados das raças Ideal (n = 19) e Corriedale (n = 21), nascidos entre 20/09/1999 e 30/10/1999 e criados em campo nativo, com predominância de capim anoni (Eragrostis plana Nees), sendo desmamados quando apresentavam 70 dias e abatidos com idade média de 1 ano.

Antes do sacrifício foram feitas as seguintes medições: peso vivo ao abate; conformação in vivo; condição corporal; comprimento corporal; perímetro torácico; altura; comprimento da perna e compacidade do animal vivo. Imediatamente após o abate foi medido o peso da carcaça quente, e observado o estado de engorduramento e a conformação da carcaça. Após resfriamento em câmara fria foram feitas as seguintes observações: peso da carcaça fria; comprimento interno da carcaça; comprimento da perna; largura da perna; profundidade da perna; gordura pélvica e renal; textura; cor e marmoreio. Foi ainda avaliada a espessura da gordura de cobertura, rendimento verdadeiro, rendimento comercial, compacidade da carcaça e perdas por resfriamento. A metodologia de estudo utilizada para variáveis acima citadas foi a descrita por Osorio et al. (1990).

A análise estatística foi feita através do PROC – GLM (General Linear Models), do programa Statistical Analysis System (SAS, 1982).

Resultados e Discussão

Nas características morfológicas, a análise da variância demonstrou haver uma diferença significativa (P<0,05) entre os genótipos para conformação, condição corporal, comprimento corporal e comprimento da perna in vivo e na carcaça, onde a raça Corriedale apresentou os maiores valores (Cuadro 1). Os valores encontrados são superiores aos verificados por Osório et al. (1996) em animais mais jovens, para as mesmas raças, especialmente no comprimento corporal e no comprimento da perna in vivo e na carcaça, salientado que, de maneira inversa a este trabalho, os referidos autores não encontraram diferenças significativas. De acordo com Sañudo e Sierra (1986), a base genética, aliada ao estado de engorduramento, é uma das principais responsáveis pela variação na conformação e condição corporal.

Nas demais características morfológicas, não observou-se diferenças entre as raças (P>0,05). Os resultados encontrados, especialmente para compacidade (in vivo e na carcaça) e conformação da carcaça, demonstram que as diferenças morfológicas são mais visíveis no animal vivo, não observando-se a mesma tendência quando avaliadas na carcaça, onde as diferenças deixam de existir. Estes resultados são semelhantes aos encontrados por Osório et al. (1996) e Costa et al. (1999) e, indicam a importância da avaliação da carcaça.

Cuadro 1. Médias e erros padrão (E.P.) da morfologia "in vivo" e na carcaça, segundo raça


Morfologia

Ideal

Corriedale

.

Média e E.P.

Média e E.P.


In vivo

. .

Conformação (índice 1 a 5)

2,18 ± 0,07 a 2,47 ± 0,07 b

Condição corporal (índice 1 a 5)

2,36 ± 0,08 a 2,61 ± 0,08 b

Comprimento corporal (cm)

57,63 ± 0,82 a 59,90 ± 0,78 b

Perímetro torácico (cm)

77,73 ± 1,00 a 77,95 ± 0,95 a

Altura (cm)

57,42 ± 0,73 a 59,19 ± 0,69 a

Comprimento da perna (cm)

51,57 ± 0,56 a 53,33 ± 0,54 b

Compacidade corporal (kg/cm)

0,59 ± 0,01 a 0,62 ± 0,01 a

Na carcaça

. .

Comprimento interno da carcaça (cm)

54,96 ± 0,93 a 56,25 ± 0,88 a

Comprimento da perna (cm)

38,02 ± 0,35 a 39,95 ± 0,34 b

Largura da perna (cm)

8,01 ± 0,20 a 8,36 ± 0,19 a

Profundidade da perna (cm)

13,37 ± 0,61 a 14,05 ± 0,58 a

Conformação (índice 1 a 5)

2,10 ± 0,11 a 2,07 ± 0,10 a

Compacidade da carcaça (kg/cm)

0,24 ± 0,09 a 0,26 ± 0,9 a

a,b. Médias na mesma linha seguidas de letras diferentes, diferem significativamente entre si (P<0,05)

 

Com relação as características produtivas e comerciais, a raça Corriedale apresentou maior peso vivo ao abate e maior peso de carcaça quente (P<0,05). Por outro lado a raça Ideal apresentou menores perdas por resfriamento, tanto em gramas quanto em percentagem, o que pode ter sido responsável pela ausência de diferenças no peso de carcaça fria e nos rendimentos verdadeiro e comercial (Cuadro 2).

 

Cuadro 2. Médias e erros padrão (E.P.) das características comerciais e produtivas, segundo raça


.

Ideal

Corriedale

Características comerciais e produtivas

Média e E.P.

Média e E.P.


Peso vivo ao abate (kg)

34,61 ± 0,95 a 37,49 ± 0,90 b

Peso de carcaça quente (kg)

13,85 ± 0,40 a 15,32 ± 0,38 b

Peso de carcaça fria (kg)

13,33 ± 0,42 a 14,43 ± 0,40 a

Estado de engorduramento (índice 1 a 5)

2,02 ± 0,11 a 1,90 ± 0,10 a

Gordura pélvica e renal (kg)

0,20 ± 0,01 a 0,16 ± 0,01 a

Rendimento verdadeiro (%)

40,50 ± 0,96 a 40,80 ± 0,92 a

Rendimento comercial (%)

38,52 ± 0,90 a 38,39 ± 0,85 a

Perda por resfriamento (kg)

0,51 ± 0,08 a 0,89 ± 0,08 b

Perda por resfriamento (%)

3,77 ± 0,64 a 5,94 ± 0,61 b

Espessura da gordura de cobertura (mm)

0,02 ± 0,00 a 0,02 ± 0,00 a

Textura (índice 1 a 5)

2,47 ± 0,09 a 2,59 ± 0,09 a

Cor (índice 1 a 5)

2,50 ± 0,10 a 2,76 ± 0,09 a

Marmoreio (índice 1 a 5)

1,39 ± 0,09 a 1,45 ± 0,08 a

a, b. Médias na mesma linha seguidas de letras diferentes, diferem significativamente entre si (P<0,05)

Osório et al. (1996) e Costa et al. (1999), de maneira semelhante a este trabalho, encontraram resultados que demonstraram não haver diferenças significativas para peso de carcaça fria e rendimento de carcaça nas raças Corriedale e Ideal; mostrando, que quanto a morfologia e características produtivas as raças Corriedale e Ideal não diferem e podem fazer parte de uma mesma categoria comercial.

Conclusões

As diferenças nas características morfológicas e comerciais entre as raças estudadas são observadas in vivo, onde a raça Corriedale apresenta valores superiores a raça Ideal. Entretanto, quando estas características são avaliadas na carcaça, não observa-se diferenças entre ambas as raças, demonstrando que poderiam ser utilizados critérios uniformes de avaliação, sendo que as raças Corriedale e Ideal poderiam fazer parte de uma mesma categoria comercial.

Morfología in vivo de la canal y características productivas y comerciales en corderos Corriedale e Ideal

RESUMEN

El objetivo de este trabajo fue comparar las razas Corriedale e Ideal en cuanto a sus características morfológicas, productivas y de interés comercial. Se utilizaron 40 borregos castrados de las razas Ideal (19) y Corriedale (21), criados en condiciones extensivas con alimentación de pasto nativo, destetados a los 70 días y sacrificados al año de edad. La fase experimental fue realizada en EMBRAPA-CPPSUL de Bagé/RS y la fase de laboratorio en UFPEL-FAEM del Departamento de Zootecnia en Pelotas/RS. La raza Corriedale presentó valores mayores (P<0,05) para conformación, condición corporal y largo del animal (in vivo) y largo de la pierna (in vivo y en canal). Las otras características morfológicas no presentaron diferencias estadísticamente significativas. Para las características productivas y comerciales, la raza Corriedale presentó mayor peso vivo al sacrificio y mayor peso en canal caliente, mientras que la raza Ideal tuvo menores perdidas por oreo (P<0,05), no presentándose diferencias estadísticamente significativas en el peso de la canal fría ni en los rendimientos verdadero y comercial.

Palabras claves: Conformación, canal, morfologia, ovinos, raza

Carcass and in vivo morphology and productive and commercial characteristics of Corriedale and Ideal lambs

SUMMARY

An experiment was carried out to compare the morphological, productive and commercial characteristics of Corriedale and Ideal lambs. Forty castrated mutton were used, 19 Ideal and 21 Corriedale, raised on extensive grazing conditions on native grasses, weaned at 70 days and sacrificed at one year of age. The experiment was carried out at EMBRAPA-CPPSUL de Bagé/RS and the laboratory measurements were done UFPEL-FAEM of Zootecnia Department at Pelotas/RS. Corriedale breed showed better values (P<0.05) on conformation, body condition and body legth (in vivo) and leg (in vivo and in carcass) lengths. The other morphological characteristics were not different. On productive and commercial characteristics, Corridale breed had higher sacrifice and hot carcass weights, Ideal breed had lower refrigerating losses (P<0.05) and no differences were observed in cool carcass weight and carcases dressed.

Key words: Conformation, body condition, morphological characteristics, lambs

BIBLIOGRAFÍA

Costa C., J. Osório, A. Silva, M. Borba e M. Pimentel. 1999. Estudo da morfologia e características comerciais em cordeiros não castrados de quatro raças. Rev. Científica Rural, 4 (2): 105-112.

Oliveira N. de, J. Osório, A. Selaive-Villarroel, D. Benitez-Ojeda e M. Borba. 1998. Produção de carne em ovinos de cinco genótipos. 5. Estimativas de qualidade e peso de carcaça através do peso vivo. Rev. Ciência Rural, 28 (4): 665-669.

Osório J., M. Osório, P. Jardim, M. Pimentel, J. Pouey, W. Lüder, R. Cardellino, L. Motta, R. Esteves. 1990. Métodos para avaliação de produção de carne ovina: "in vivo", na carcaça e na carne. Universidade Federal de Pelotas, Departamento de Zootecnia, Pelotas, RS, Brasil, 39 p.

Osório J., I. Sierra, C. Sañudo, J. Guerreiro e P. Jardim. 1991. Componentes do peso vivo em cordeiros e borregos Polwarth e cruzas Texel x Polwarth. In: Congresso Internacional de Zootecnia, 1991. Evora, Portugal, p. 49-50 (Anais).

Osório J., N. de Oliveira, A. Nunes, J. Pouey. 1996. Produção de carne em ovinos de cinco genótipos. 3. Perdas e morfologia. Rev. Ciência Rural, 26 (3): 477-481.

Osório J., N. de Oliveira, M. Osório, M. Pimentel e J. Pouey. 2000. Efecto de la edad al sacrificio sobre la producción de carne en corderos no castrados de cuatro razas. Rev. Bras. de Agrociência, 6(2): 161-166.

Sañudo C., I. Sierra. 1986. Calidad de la canal en la especie ovina. Barcelona, España: One, p. 127-153.

SAS, Raleigh, NC. 1982. SAS User’s Guide: Statistics. Cary, NC,. 584 p.

Sierra I., M. Osório e J. Osório. 1993. Producción de corderos ligeros en la raza Rasa Aragonesa, Ojinegra de Teruel Y Roya Bilbilitana. I. Calidad de la canal. In: Jornadas Científicas de la Sociedad Española de Ovinotecnia y Caprinotecnia, 18, 1993. Albacete, España. (Anales).


^

Zootecnia Tropical > Sumario de la Colección > Volumen 19